Piratas somalis liberam navio japonês mas seqüestram outra embarcação

Piratas somalis liberaram um cargueiro japonês que transporta produtos químicos e sua tripulação, mas assumiram o controle de outra embarcação no Golfo de Aden, apesar da presença de navios de guerra que patrulham a região.

AFP |

O "Stolt Valor" e a tripulação de 18 indianos, dois filipinos, um russo e um bengalês foram liberados, anunciou Andrew Mwangura, diretor do escritório queniano do Programa de Ajuda aos Marinheiro. A embarcação havia sido capturada em 15 de setembro.

Um oficial da Marinha da Índia conformou a notícia e disse que os tripulantes gozam de boa saúde. O cargueiro segue para Mumbai.

O navio foi registrado no Panamá pela Ocean Carrier Transit, que possui outros 12 cargueiros, mas o proprietário é a Central Marine do Japão.

Fontes indianas afirmaram que foi pago um resgate. Os piratas haviam exigido 2,5 milhões de dólares, mas não foi possível confirmar se a quantia exata repassada aos criminosos.

Enquanto o "Stolt Valor" começava a retornar para seu porto, Mwangura informou que piratas seqüestraram o navio "Chemstar Venus", japonês, de 20.000 toneladas, no sábado, 150 km ao leste do Golfo de Aden.

Este cargueiro tem uma tripulação de 18 filipinos e cinco sul-coreanos.

A Marinha russa anunciou em um comunicado que uma navio do país provocou a fuga de alguns piratas na região de Aden.

Vários países consideram a possibilidade de enviar navios de guerra à região, depois que muitos cargueiros e tripulações foram seqüestrados e liberados somente em troca do pagamento de resgate.

burs-bkb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG