Piratas somalis baixam resgate de petroleiro para US$ 15 milhões

Mogadíscio, 24 nov (EFE).- Os piratas somalis que seqüestraram o superpetroleiro saudita Sirius Star baixaram de US$ 25 milhões para US$ 15 milhões o pedido de resgate pela embarcação, disse hoje à Agência Efe por telefone um porta-voz dos corsários.

EFE |

Abdi Omar, que afirmou falar em nome do grupo que seqüestrou o superpetroleiro, maior navio capturado pelos piratas somalis, acrescentou que eles mantêm negociações com a companhia proprietária e que estão esperando um novo acordo.

Segundo Omar, a redução do pedido de resgate se deveu às pressões de milícias fundamentalistas islâmicas, inclusive do grupo Al-Shabab, o mais poderoso da Somália e que os Estados Unidos vinculam à Al Qaeda.

As milícias islâmicas ameaçaram os piratas e exigiram a libertação do navio saudita por considerar que é "crime" seqüestrar um barco de uma nação muçulmana, embora não se oponham à captura de embarcações de outros países.

O seqüestro do "Sirius Star" aconteceu em 15 de novembro, perto da fronteira entre Quênia e Tanzânia, a 1.700 quilômetros ao sul do litoral da região de Puntlandia, no norte da Somália, onde está atualmente.

O navio está perto do porto de Haradhere, onde tanto os piratas quanto as milícias islâmicas têm grande influência.

O "Sirius Star" leva uma carga avaliada em US$ 116 milhões. EFE aa/wr/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG