Piratas sequestram cargueiro iemenita no Golfo de Áden e exigem resgate

SANA - Um grupo de piratas sequestrou na semana passada um cargueiro iemenita no Golfo de Áden e exige um resgate de US$ 2 milhões para liberá-lo, confirmaram hoje à Agência Efe fontes da Autoridade Marítima iemenita.

Redação com agências internacionais |

Acordo Ortográfico

O navio, que transporta 570 toneladas de material de construção, foi capturado na quarta-feira passada quando navegava rumo à ilha de Socotra, localizada a cerca de 550 quilômetros do litoral iemenita, após partir do porto de Mukala, no sudeste do país, disseram as fontes.

A construtora iemenita que alugou o cargueiro afirmou à Efe que foram iniciadas negociações com os piratas, que aparentemente levaram o navio ao porto de Eyl, no nordeste da Somália.

Segundo fontes da companhia, o próprio dono da construtora, um iemenita de origem somali que mora no Reino Unido, manteve contatos com chefes de tribos somalis, que negociam com os piratas.

Frequencia

Atualmente, a comunidade internacional está mobilizada para lutar contra a pirataria frente às costas da Somália, fenômeno que pertuba uma das principais vias marítimas comerciais do mundo.

Desde o início do ano, mais de 80 embarcações foram atacadas na África, e 12 permanecem sob poder dos bandidos, que também retêm mais de 200 membros das tripulações.

As águas do Golfo de Áden são consideradas agora as mais perigosas do mundo junto com as da Nigéria, e deslocaram do primeiro posto quanto a risco a Península de Malaca, antes a rota marítima mais insegura.

Sirius Star

Há uma semana, piratas somalis sequestraram um superpetroleiro saudita Sirius Star com uma carga de 100 milhões de dólares, cujo resgate exigido é de 15 milhões de dólares.


Mapa mostra a região do sequestro

Leia mais sobre piratas

    Leia tudo sobre: piratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG