Piratas seqüestram 5 marinheiros russos na Nigéria

Lagos, 25 jul (EFE).- Cinco marinheiros russos, que tripulavam uma embarcação sueca, foram seqüestrados hoje por um grupo de homens armados em uma região produtora de petróleo do sul da Nigéria, informaram emissoras de rádio locais, que citaram porta-vozes militares.

EFE |

Segundo as fontes, a embarcação, propriedade da empresa Saipem, uma subsidiária da estatal italiana ENI, se dirigia para as jazidas de Akpo quando foi capturada por piratas a cerca de 35 quilômetros do litoral nigeriano, sobre baía da Guiné.

Onze pessoas, incluindo cinco russos e um ucraniano, estavam na embarcação quando ela foi abordada pelos assaltantes, que obrigaram a tripulação a conduzir o barco em direção a um rio afluente do rio Bonny, que desemboca no oceano Atlântico.

Os piratas libertaram depois seis dos tripulantes, mas mantiveram retidos os russos, segundo o porta-voz da força militar conjunta que atua no estado nigeriano de Rivers, tenente-coronel Sagir Moussa.

Moussa informou, além disso, que outro grupo de militantes seqüestrou dois engenheiros petrolíferos, um filipino e outro nigeriano, na área de Borokiri, próximo à principal cidade industrial da região, Port Harcourt.

Nenhum grupo militante se responsabilizou ainda pelo seqüestro.

Estes grupos armados afirmam estar lutando contra o Governo em defesa dos direitos da população do delta do Níger, que apesar da riqueza petrolífera da área seguem vivendo na pobreza.

Todos eles se dedicam a perfurar os oleodutos que cruzam a zona e roubam os produtos petrolíferos, que depois vendem no mercado negro.

Eles também seqüestram trabalhadores das multinacionais petrolíferas que trabalham na região, que são libertados depois que os empregadores pagam um resgate. EFE dá/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG