Piratas capturam cargueiro grego no Golfo de Áden

Nairóbi, 19 nov (EFE).- Piratas somalis capturaram na terça-feira um navio grego nas águas do Golfo de Áden, o terceiro seqüestrado em apenas um dia, após um pesqueiro da Tailândia e um cargueiro de Hong Kong, informou hoje à Agência Efe Andrew Mwangura, diretor do Programa de Assistência Marítima (PAM), com sede no porto queniano de Mombaça.

EFE |

"Sobre este último navio, ainda se sabe muito pouco. Não temos idéia de quanta gente está a bordo nem o nome da embarcação", acrescentou Mwangura, que lembrou que, no cargueiro de Hong Kong, operado por uma companhia iraniana, havia 25 marinheiros. A embarcação pesqueira, com bandeira de Kiribati, tinha 16 tripulantes.

Estes três navios foram capturados pelos piratas após o seqüestro no sábado do petroleiro saudita "Sirius Star" nas águas do Oceano Índico, cerca de 800 quilômetros (430 milhas) ao sudeste de Mombaça.

Segundo Mwanguara, o petroleiro está desde ontem a 5 milhas do litoral de Eyl, na região de Puntlândia, no nordeste da Somália, cerca de 900 milhas ao norte do lugar onde aconteceu a abordagem e onde os piratas têm seus refúgios.

O petroleiro, de 330 metros de comprimento e peso morto de mais de 300 mil toneladas, tem 25 tripulantes, entre eles britânicos, croatas, poloneses, filipinos e sauditas, que Mwangura afirmou que "se encontram em bom estado" de saúde.

Com esta embarcação, somam 18 o número de navios que estão sob poder de piratas somalis neste momento, com mais de 300 marinheiros seqüestrados, segundo dados da Organização Marítima Internacional (OMI).

Os piratas somalis utilizam lanchas rápidas para se aproximar dos navios e abordá-los, depois ameaçam os tripulantes com armas e tomam o controle dos navios.

Além disso, contam com cúmplices em terra que utilizam equipamentos de alta tecnologia para captar comunicações e fazer o acompanhamento dos navios, para evitar ataques das embarcações da Marinha de vários países que tentam evitar as ações desses criminosos no litoral da Somália e no Golfo de Áden. EFE pa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG