Pirata somali se declara inocente em corte de N.York

Nova York, 21 mai (EFE).- O somali que em abril esteve envolvido no ataque ao cargueiro americano Maersk Alabama, durante o qual fez o capitão da embarcação como refém, se declarou inocente das acusações de pirataria, sequestro e outros oito delitos na audiência judicial a que compareceu hoje nos Estados Unidos.

EFE |

Abduwali Abdukhadir Muse foi detido pela Marinha americana em 12 de abril. Depois, foi colocado sob a custódia do FBI (agência federal americana), que o transferiu para Nova York.

Quando apresentado à Justiça americana, um juiz federal determinou que Muse tinha mais de 18 anos e que poderia ser julgado como adulto, embora a defesa tente provar que ele não tem essa idade.

Para a Promotoria de Nova York, o somali cometeu dez crimes, incluindo os de tomar um navio à força, sequestro e posse de arma de fogo.

Segundo o direito internacional, a pena para quem comete um ato de pirataria é obrigatoriamente a prisão perpétua, explicou nesta terça-feira passada a Promotoria nova-iorquina. A próxima audiência de Muse será em 17 de setembro. EFE mgl/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG