Piores ataques do ano deixam dezenas de mortos no Iraque

Explosões de bomba atingiram 17 cidades, deixando mais de 60 mortos entre as forças de segurança e civis

iG São Paulo |

No pior dia de violência deste ano no Iraque, explosões de bomba atingiram 17 cidades nesta segunda-feira, deixando dezenas entre forças de segurança e civis, em uma mostra da intenção e da habilidade da rede Al-Qaeda em espalhar o terror. Informações sobre o número de mortos, no entanto, variam. Enquanto a Associated Press fala em 63 mortos, o jornal americano The New York Times afirma que 86 morreram e 300 ficaram feridos.

Reuters
Policiais iraquianos inspecionam o local onde duas explosões mataram mais de 30 pessoas na cidade de Kut
O banho de sangue acontece menos de duas semanas depois de oficiais iraquianos afirmarem que estariam abertos para a permanência de um pequeno número de soldados dos EUA no país depois do prazo de retirada final, em 31 de dezembro.

As explosões foram coordenadas para ocorrer na manhã desta segunda-feira e incluíram carros-bomba, bombas em estradas, um homem-bomba que chocou seu veículo contra uma delegacia e mesmo bombas anexadas em postes de luz.

A abrangência da violência - sete das explosões ocorreram em diferentes cidades da Província de Diyala - enfatizou que os militantes estão capazes de realizar os ataques apesar de uma repressão repetida das forças iraquianas e dos EUA.

O porta-voz policial Dhurgam Mohammed Hassan disse que a primeira bomba explodiu em um freezer em Kut, a cerca de 160 quilômetros da capital, Bagdá. Quando equipes de resgate e curiosos se reuniam no local, um carro estacionado explodiu em um rua comercial perto de um mercado, em uma das horas mais movimentadas do dia, deixando 35 mortos e 64 feridos.

Na Província de Diyala, sete bombas explodiram na capital de Baquba e nos seus arredores, deixando vários mortos.

Perto da cidade sagrada de Najaf, um homem-bomba jogou seu carro contra um posto de controle do lado de fora de uma delegacia. A polícia abriu fogo quando o motorista se recusou a parar, e então o veículo explodiu.

Também houve um ataque perto da cidade de Karbala, e nas cidades de Tikrit, Kirkuk, Iskandiriyah, Mossul, Taji, Balad e na capital iraquiana, onde um carro-bomba explodiu perto de um comboio com funcionários do Ministério de Educação Superior.

A violência caiu consideravelmente no Iraque desde o início da guerra. Mas sua persistência, apesar de em um nível menor, destaca a precária situação do país.

* Com EFE e AP

    Leia tudo sobre: iraquecarro-bombahomem-bombasuicidaal-qaeda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG