Pior seca do século interdita projeto hidrológico na China

Pequim, 2 abr (EFE).- A pior seca em um século sofrida pelo sudoeste da China, e que afeta cerca de 60 milhões de pessoas, interditou o faraônico projeto hidrológico que a China pretende realizar para abastecer as metrópole do norte e leste do país, segundo publicou hoje o jornal oficial Global Times.

EFE |

O Projeto de Desvio de Águas Sul-Norte, que começou a ser elaborado em 2002 e cujo custo se calcula em US$ 62 bilhões, pretende canalizar água dos rios Yang Tsé e Amarelo para as zonas urbanas litorais do país.

No entanto, a falta de chuvas em regiões com uma pluviometria tradicionalmente elevada deu vez a vozes que alertam contra a viabilidade do projeto, que poderia alongar e piorar os efeitos da escassez.

"A severa seca que castiga o sudoeste da China pode ocorrer outra vez quando a rota (de canalização) do projeto esteja terminada. Se tanto o sul como o norte estão sedentos de água nesse momento, como a provisão de água para ambos pode ser assegurada?", expôs Yang Yong, da Fundação para o Controle da Desertificação da China.

Assim, por exemplo, a zona nordeste da China concentra 35% da população enquanto só goze de 7% dos recursos hídricos.

Por sua vez, o sudoeste do país sofre uma grave seca há vários meses, que arruinou colheitas de produtos vitais para a economia chinesa, como o chá, e reduziu sensivelmente o caudal de grandes rios como o Mekong e o Yang Tsé.

Milhões de pessoas e cabeças de gado sofrem com a escassez de água potável, e o país começou a destinar verbas de ajuda humanitária aos afetados. EFE gmp/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG