Cidade do Vaticano, 22 dez (EFE).- O ditador chileno Augusto Pinochet enganou João Paulo II durante a visita que este fez ao Chile, em 1987, e, ardilosamente, levou o finado papa até um balcão do palácio presidencial para que os dois aparecessem juntos para os chilenos, algo que o Bispo de Roma não queria.

A revelação foi feita à edição de hoje do jornal "L'Osservatore Romano" pelo cardeal Roberto Tucci, que durante anos foi o organizador das viagens papais.

Tucci contou que, quando a viagem de João Paulo II ao Chile foi acertada, ficou combinado que, "por determinação do papa", este não apareceria ao lado de Pinochet para saudar o povo do balcão do Palácio da Moeda.

"Wojtyla tinha muitas críticas ao ditador chileno e não queria aparecer ao lado dele", afirmou Tucci, segundo quem, durante o encontro privado do então papa com Pinochet, a comitiva papal foi acomodada em uma sala ao lado.

"No entanto, em uma ação estudada, fizeram o papa sair por uma outra porta. Levaram-no até uma grande cortina preta, que estava fechada. Um Pinochet furioso, segundo o papa me contou depois, parou-o para mostrar uma coisa. A cortina se abriu de repente e o pontífice se viu diante de um balcão aberto, que dava para a praça, cheia de gente", revelou o cardial.

João Paulo II, acrescentou Tucci, não pôde fazer outra coisa que não permanecer ao lado de Pinochet. Mas "quando se despediu dele, fulminou-o com o olhar", destacou o religioso.

O cardeal também lembrou da visita de João Paulo II a Cuba, em 1998. Na ocasião, chamou a atenção "a grande disponibilidade das autoridades cubanas em deixar o papa livre para fazer o que quisesse".

Como organizador das viagens papais desde 1982, Tucci disse ainda que João Paulo II foi obrigado a usar um colete à prova de balas quando esteve em Sarajevo, em 1994, e não pôde ir a Hong Kong nesse mesmo ano devido à oposição chinesa.

"Outra desilusão" do finado papa foi não poder visitar o Iraque após a guerra do Golfo, já que as autoridades do país não garantiram sua segurança. EFE JL/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.