Santiago do Chile, 14 dez (EFE).- O candidato da oposição de direita à Presidência do Chile, Sebastián Piñera, reclamou hoje do que chamou de brutal intervenção eleitoral do Governo para impedir sua vitória e favorecer o postulante governista, Eduardo Frei.

"Vi com meus próprios olhos que houve intervenção eleitoral no Chile e infelizmente estou preparado para continuar vendo isso", declarou Piñera a um grupo de correspondentes estrangeiros.

Piñera disse não saber se a presidente chilena, Michelle Bachelet, tem "responsabilidade pessoal" no intervencionismo eleitoral, mas insistiu em que o Governo está fazendo "uso e abuso de recursos públicos em favor de uma candidatura".

O candidato da Coalizão pela Mudança ganhou ontem o pleito presidencial com uma diferença de 14 pontos sobre seu principal oponente, Eduardo Frei. Porém, como não obteve a maioria absoluta, ambos disputarão o segundo turno no dia 17 de janeiro. EFE mf/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.