Pílulas com muito estrogênio aumentam risco de trombose, diz pesquisa

(embargada até as 20h01 de Brasília). Londres, 13 ago (EFE).- Uma grande quantidade de mulheres de todo o mundo não utiliza pílulas anticoncepcionais mais seguras e escolhe marcas cuja composição aumenta o risco de sofrer tromboses nas veias, apesar de a incidência absoluta desta continuar sendo baixa.

EFE |

Esta é a principal conclusão de dois estudos científicos publicados pelo "British Medical Journal" ("BMJ"), um realizado pela Clínica Ginecológica de Rigshospitalet, em Copenhague, e outro pelo Centro Médico da Universidade de Leiden, na Holanda.

A pesquisa dinamarquesa estudou os efeitos de diferentes pílulas anticoncepcionais em dez milhões de mulheres entre 1995 e 2005, das quais 4.213 desenvolveram tromboses venosas.

O trabalho conclui que o risco de desenvolver este transtorno vascular diminui quanto menor é a dose de estrogênio que tem o anticoncepcional e quanto menos tempo for utilizado.

O estudo afirma também que as pílulas mais seguras são aquelas que contêm Levonorgestrel combinado com uma pequena dose de estrogênio.

Tanto os anticoncepcionais orais que continham unicamente progesterona como o DIU "não estiveram associados a nenhum aumento do risco de trombose venosa".

O estudo realizado ressalta que a probabilidade de sofrer esta doença em mulheres jovens pelo uso da pílula é de um entre mil por ano.

Os autores recomendam esse método como primeira opção para evitar a gravidez em mulheres de peso normal e que não tenham predisposição genética a sofrer tromboses.

Uma pesquisa do Departamento de Epidemiologia Clínica do Centro Médico da Universidade de Leiden afirma que as mulheres que tomam anticoncepcionais orais têm um risco cinco vezes maior de sofrer trombose venosa.

As conclusões estão de acordo com os resultados dos trabalhos que foram sendo realizados sobre este tema desde 1961, e que indicam que o uso da pílula multiplica por entre dois e seis vezes o risco de sofrer este transtorno vascular.

Os resultados da pesquisa se baseiam no estudo de 1.524 mulheres de entre 18 e 50 anos com um princípio de trombose venosa profunda e nos resultados de 1.760 controles de saúde rotineiros.

A investigação se centrou em que tipo de progesterona é mais seguro e, como seus colegas dinamarqueses, comprovaram como o uso de levonorgestrel é o mais recomendável. EFE otp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG