Pilotos da Lufthansa anunciam suspensão da greve

Cerca de 4 mil pilotos da companhia aérea alemã Lufthansa anunciaram a suspensão da greve iniciada nesta segunda-feira para dar início a uma nova rodada de negociações entre o sindicato e a empresa. Segundo um comunicado do sindicato dos pilotos, chamado de Cockpit, a suspensão terá efeito a partir desta terça-feira e permanecerá em vigor até o dia 9 de março.

BBC Brasil |

A greve estava prevista para durar quatro dias.

A decisão foi anunciada após uma audiência realizada no tribunal de trabalho de Frankfurt, no qual a companhia aérea entrou com uma denúncia por considerar a greve "desproporcional e sem fundamentação jurídica".

A suspensão da greve na Lufthansa foi anunciada no mesmo dia que funcionários de outra companhia aérea europeia, a britânica British Airways (BA), anunciaram o início de uma paralisação.

Transferências


No primeiro dia de paralisação da Lufthansa, a greve provocou o cancelamento de cerca de 3 mil voos nos principais aeroportos da Alemanha.

A greve foi motivada por uma disputa sobre a transferência de vagas para subsidiárias estrangeiras como Austrian Airlines ou Lufthansa Italia, onde os salários são menores. A associação classista receia que a empresa tente reduzir custos com pessoal por meio dessa transferência de pessoal.

Assim como outras companhias aéreas globais, a Lufthansa vem sendo afetada pela crise econômica. As vendas nos primeiros nove meses de 2009 tiveram uma queda de 13%.

Além de sofrer o impacto de uma diminuição do número de passageiros, a companhia enfrenta a concorrência de empresas que vendem passagens mais baratas e o alto preço dos combustíveis.

Grã-Bretanha

Os pilotos e comissários de bordo da BA aprovaram a greve para protestar contra os salários e condições de trabalho.

O sindicato, chamado de Unite, ainda não anunciou as datas da greve, mas garantiu que a ação não acontecerá durante o feriado da Páscoa.

Pela lei britânica, o sindicato deve dar pelo menos uma semana de aviso prévio antes de ações desse tipo, o que significa que a greve poderia começar logo na primeira semana de março.

Os funcionários da BA já haviam anunciado uma paralisação durante o período do Natal no ano passado, mas a greve foi declarada ilegal e não foi adiante.

A votação para paralisação, nesta segunda-feira, foi motivada por mudanças implementadas pela empresa em novembro de 2009. A British Airways reduziu o número de tripulantes em voos de longa distância de 15 para 14 e congelou os salários por dois anos.

O sindicato diz que os cortes envolvem importantes mudanças contratuais para os funcionários de bordo.

A British Airways afirma que precisa cortar gastos urgentemente. No mês passado, a empresa revelou perdas de 292 milhões de libras (cerca de R$ 831 milhões) no primeiro semestre e anunciou que terá de cortar mais 1,2 mil vagas.

Em outros países da Europa, a crise do setor aéreo também pode ser percebida.

Na Grécia, duas das principais companhias - a Olympic Air e a Aegean Airlines - anunciaram a fusão das empresas. Segundo as diretorias, a junção ajudará as empresas a competir melhor com as rivais europeias.

Na França, uma greve dos controladores de voo está prevista para esta terça-feira.

Leia mais sobre: aviação

    Leia tudo sobre: aviaçãoaviação civilempresasgreve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG