Piloto que pousou sobre o Hudson oferece sua versão dos fatos

Nova York, 9 jun (EFE).- Chesley Sullenberger, o piloto que se transformou em herói ao pousar com sucesso no rio Hudson, em Manhattan, e salvar a vida de 155 pessoas, contou hoje sua versão dos fatos, no mesmo dia em que foi divulgada a transcrição das conversas da cabine.

EFE |

Nela é possível ler como Sullenberger comentou com seu copiloto logo após decolar do aeroporto nova-iorquino de La Guardia como estava bonito o rio Hudson, sobre cujas águas estaria apenas cinco minutos depois, pousando o voo 1549 da US Airways em 15 de janeiro.

A transcrição é usada na investigação que uma junta do Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB, na sigla em inglês) faz em Washington para saber as causas do pouso forçado da aeronave, com somente cinco minutos e oito segundos de voo.

A primeira testemunha a depor hoje foi o piloto, que pouco antes também tinha destacado em sua mensagem aos passageiros que fazia um dia muito bonito e que o céu estava claro.

No entanto, não contava que se chocaria contra alguns gansos, apenas um minuto e 37 segundos após decolar, o que desabilitou os dois motores do aparelho.

O piloto tentou então reiniciar os dois motores e estudou, com a ajuda dos controladores, as opções de aterrissar em algum aeroporto próximo, incluindo o de Teterboro, em Nova Jersey, o capitão afirmou com certa calma: "Vamos ao Hudson".

Após o pouso improvisado, Sullenberger explicou que o copiloto disse que não tinha achado tão difícil quanto pensava.

A aeronave chegou à água com o dobro de força para a qual a fuselagem está preparada e com maior velocidade que a considerada segura, segundo os documentos técnicos divulgados pelo NTSB. EFE mgl/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG