Piloto do avião acidentado em NY vira herói nacional

O piloto do vôo da US Airways que fez um pouso forçado, nesta quinta-feira, nas geladas águas do rio Hudson de Nova York, foi celebrado como um herói, depois da confirmação de que todos os 155 ocupantes da aeronave sobreviveram.

AFP |

Os jornais locais identificaram o comandante desse vôo como o ex-piloto de caças da Força Aérea americana Chesley Sullenberger III, que já foi apelidado pelo "New York Daily News" como "O herói do Hudson".

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, saudou com entusiasmo o heroísmo e o profissionalismo do piloto do Airbus 320 da companhia aérea US Airways, que se preocupou até o fim com que todas as pessoas deixassem o avião a salvo.

O aparelho faria um vôo entre o aeroporto La Guardia, de Nova York, e Charlotte. Pouco depois da decolagem, o piloto advertiu os passageiros para que "se preparassem para um impacto", relataram testemunhas, acrescentando que o avião caiu nas águas do Hudson, em um dos dias mais frios do inverno nos EUA, com temperaturas até seis graus negativos.

AP
Avião caiu poucos minutos após decolar no aeroporto de La Guardia

Avião caiu poucos minutos após decolar no aeroporto de La Guardia

Ao que parece, a causa do acidente foi o impacto de um, ou vários pássaros, anunciou a porta-voz da Autoridade Federal de Aviação (FAA), Laura Brown, acrescentando que ainda se desconhece a razão exata do acidente.

Todos os ocupantes foram evacuados e resgatados pelas embarcações que transitam pelo Hudson.

"O piloto fez um trabalho estupendo", disse Bloomberg.

"Diríamos que o piloto fez um trabalho magistral, ao arremeter no rio e, depois, assegurar-se de que todo o mundo saísse".

"Tive uma longa conversa com o piloto. Caminhou pelo avião duas vezes depois que todos os passageiros estavam fora e tentou verificar se não havia mais ninguém a bordo e garantir, para nós (as autoridades), que não havia mais ninguém lá dentro", insistiu o prefeito de Nova York.

Bloomberg disse que o piloto será interrogado pelo Bureau Americano de Segurança do Transporte (NTSB).

"A primeira coisa e o mais importante é que o piloto fez um trabalho fantástico, e que os 155 ocupantes, entre eles a tripulação e um bebê, saíram sãos e salvos", destacou Bloomberg.

"De imediato, o capitão nos disse 'abracem-se, e se abracem muito forte'", contou o passageiro Jeff Kolodjay à rede CNN.

"Ele fez um trabalho surpreendente", elogiou.

Outro passageiro, Fred Beretta, comentou: "Já fiz muitas viagens de avião, e essa foi uma aterrissagem fenomenal".

Ao ser consultado sobre se tinha uma mensagem para o piloto e o co-piloto, Baretta resumiu: "Obrigado, obrigado, obrigado. Espero que alguém lhe dê um grande prêmio por isso".

Os passageiros não poderiam estar em melhores mãos: Sullenberger conta com uma consultoria de segurança de transporte, após 19.000 horas de vôo em seus 40 anos como piloto - revela sua biografia, disponível em sua página na Internet.

Além de ter sido piloto de caças, foi instrutor e encarregado de segurança da Associação de Pilotos de Companhias Aéreas, além de ter participado de várias comissões de investigação de acidentes do NTSB.

    Leia tudo sobre: eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG