Bogotá, 22 dez (EFE).- A congressista opositora colombiana Piedad Córdoba defendeu nesta segunda-feira a criação de um comitê para trabalhar na libertação dos seis reféns que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram que acontecerá em breve.

"É uma comissão que ajudará no processo de libertação dos seqüestrados", explicou à imprensa local.

Córdoba não antecipou os nomes das pessoas que levará a este comitê, mas o presidente colombiano, Álvaro Uribe, já advertiu que não permitirá que personalidades estrangeiras intervenham na libertação de seqüestrados, e sustentou que eles devem ser entregues ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

"Sei que devo ouvir a todos e, principalmente, ao presidente da República, que é o doutor Álvaro Uribe", aceitou Córdoba, forte opositora ao governante.

O grupo rebelde anunciou em mensagem divulgada no domingo pela internet que decidiu libertar em breve seis das 28 pessoas que mantém seqüestradas com o objetivo de trocar por 500 insurgentes presos, mediante um acordo humanitário. EFE jgh/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.