PIB japonês tem maior queda em 35 anos

O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão registrou uma contração de 12,7% no último trimestre de 2008 em comparação ao mesmo período do ano passado, e de 3,3% em relação ao trimestre imediatamente anterior. Os dados indicam o pior desempenho da economia do país desde 1974, quando, em plena crise do petróleo, houve uma queda de 3,4% no primeiro trimestre em comparação ao anterior, e de 13,1% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

BBC Brasil |

O período de outubro a dezembro de 2008 foi o terceiro trimestre consecutivo em que a economia japonesa teve crescimento negativo. Entre abril e junho, o país amargou uma queda de 3% no PIB, enquanto de julho a setembro a retração foi de 0,4%. No acumulado do ano, o recuo foi de 0,7%, fato que não acontecia há nove anos.

"Esta é a pior crise desde o final da Segunda Guerra Mundial", disse ministro da Economia e Política Fiscal japonês, Kaoru Yosano. "A economia do Japão, cujo crescimento depende muito das exportações, ficou literalmente arrasada pela crise", comentou.

Segundo o relatório divulgado pelo governo, os principais responsáveis pela acentuada queda no PIB foram a redução nas exportações e a também a valorização do iene.

Com isso, analistas já esperam para os próximos meses novas listas de cortes em massa de funcionários, quedas de lucros e diminuição da produção nas fábricas.

Somente neste começo de ano, as empresas tradicionais Panasonic, Pioneer, Nissan e NEC anunciaram juntas a demissão de 65 mil funcionários.

Para tentar salvar a economia japonesa do naufrágio, o governo japonês já se adiantou em anunciar um novo pacote econômico. Será a terceira tentativa do governo, desde o final de 2008.

Entre as principais medidas estariam o financiamento de grandes projetos públicos, como a reforma de aeroportos e outras estruturas. Além disso, o governo quer estimular o desenvolvimento de empresas "verdes".

O governo também estuda medidas para ajudar empresas que não conseguem sair do vermelho.

Nesta segunda-feira, o primeiro-ministro Taro Aso pediu ao Partido Liberal Democrata (PLD) para que as novas medidas comecem a ser formuladas. A ideia é apresentar em abril um projeto de orçamento adicional ao Parlamento.

Segundo fontes ligadas ao governo, em depoimento a jornais japoneses, o governo quer pressionar o Parlamento a liberar uma ajuda que poderá chegar a US$ 109 bilhões.

A mídia japonesa deu destaque ao assunto nesta segunda-feira. Alguns analistas entrevistados por emissoras de tevê disseram que o Japão só vai conseguir se re-erguer depois que China e Estados Unidos saírem da crise.

"O Japão será incapaz de superar a crise sozinho", já havia alertado Yosano. "As fronteiras não existem na economia. Nossa economia arrancará de novo ao mesmo tempo que a de outros países", previu o ministro.

A pior recessão que o Japão já enfrentou, no começo dos anos 80, em conseqüência da crise do petróleo, durou 36 meses.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG