O PIB dos Estados Unidos registrou no último trimestre do ano passado uma alta anualizada de 5,7%, ou 1,4% em relação ao trimestre anterior, informou nesta sexta-feira o governo americano. A cifra indica que a economia do país está crescendo no ritmo mais rápido em seis anos, deixando para trás a recessão associada à crise econômica global, iniciada em 2008.

Mesmo com o crescimento, acima do previsto por analistas, o PIB americano fechou 2009 com uma retração de 2,4%, seu maior recuo desde 1946 e sua primeira queda desde 1991.

No trimestre anterior, a taxa de crescimento anualizada do PIB havia ficado em 2,2%.

Segundo o Escritório de Análise Econômica do governo americano, responsável pelos dados, o setor produtivo foi o que mais estimulou a alta do PIB no trimestre, com alta de 3,4% do crescimento no período.

Os números divulgados nesta sexta-feira ainda podem ser revisados pelo governo, mas a tendência do fim de 2009 foi recebida com otimismo por alguns analistas, que acreditam que a alta possa se repetir nos próximos trimestres.

Consumo em baixa
Também nesta sexta-feira, o governo americano divulgou novos dados negativos sobre o trabalho no país.

O Departamento de Trabalho informou também que os gastos com salários e benefícios trabalhistas subiram em média 1,5% em 2009, sendo 0,5% apenas no último trimestre. O resultado foi o pior desde 1982.

Diante disso e de uma taxa desemprego em 10%, o gasto dos consumidores, que responde por 70% da economia americana, cresceu 2%, muito abaixo do que os economistas esperavam.

O que salvou os dados de consumo foi o comércio de equipamentos eletrônicos e softwares, que teve alta de 13% no trimestre, a mais expressiva expansão desde 2006.

Quem também contribuiu para a alta do PIB americano no trimestre foram as exportações, que subiram 18,1% no trimestre passado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.