Pfizer interrompe desenvolvimento de duas moléculas para tratamento de dor e ansiedade

O grupo farmacêutico norte-americano Pfizer interrompeu o desenvolvimento de duas moléculas em Fase 3 de testes clínicos, dedicadas ao tratamento da fibromialgia e de disfunções ligadas à ansiedade, para transferir os recursos para outros programas, anunciou a empresa em um comunicado nesta terça-feira.

AFP |

Esta decisão faz parte de uma revisão detalhada da série de tratamentos em desenvolvimento e já comercializados da divisão de cuidados gerais ("Primary Care") da Pfizer, explicou o laboratório em um comunicado, indicando que esses tipos de medidas são frequentes nessa divisão.

A interrupção do desenvolvimento dessas duas moléculas permitirá "alocar recursos adicionais para programas de maior potencial", acrescentou o grupo sem informar o montante dos recursos.

"Embora confiemos na segurança dessas moléculas, não pensamos que representem um avanço significativo em relação a outros tratamentos" existentes, declarou o chefe da divisão de cuidados gerais de Pfizer, Pedro Lichtinger, citado no comunicado.

A Pfizer ressaltou que seu objetivo será obter a aprovação do medicamento Lyrica (já utilizado em tratamentos de fibromialgia) também para tratar disfunções ligadas à ansiedade, uma condição crônica cujos sintomas incluem ansiedade persistente, preocupação exagerada e tensão.

A companhia também continuará pesquisando outros tratamentos de fibromialgia, uma condição que afeta os tecidos moles causando dor generalizada crônica.

Em junho de 2007, o Lyrica se tornou o primeiro tratamento aprovado pela FDA (a autoridade reguladora de alimentos e medicamentos nos Estados Unidos) para a fibromialgia.

pp/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG