Pfizer advertida por não informar reações adversas de remédios

Empresa afirmou que colaborará para garantir a vigilância e a informação de efeitos colaterais

AE |

A Agência de Alimentação e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) advertiu o laboratório Pfizer por não ter informado imediatamente os possíveis efeitos prejudiciais de seus remédios no mercado.

Em carta ao diretor executivo da Pfizer, Jeffrey Kindler, a FDA citou numerosos exemplos de problemas referentes às marcas mais conhecidas da companhia, como o Viagra.

A demora em alertar sobre os efeitos colaterais data de 2004 e vem aumentando nos últimos anos, segundo a carta de Ronald Pace, diretor da FDA em Nova York. Ele afirma que o laboratório não documentou ou investigou adequadamente problemas relatados pelos pacientes depois que os remédios haviam recebido autorização para o uso.

"A FDA espera que os fabricantes criem e adotem mecanismos adequados para garantir que todas as reações graves e inesperadas sejam prontamente informadas e investigadas", escreveu Pace.

Os relatos dos pacientes "continham graves reações adversas que não foram levadas em conta até serem identificadas durante a inspeção da FDA", afirmou o diretor da agência.

Em comunicado, o laboratório Pfizer afirmou que colaborará com a FDA para atender à agência "e garantir toda a vigilância e a informação de reações adversas dos medicamentos comercializados".

    Leia tudo sobre: PfizerViagraremédiosFDA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG