PF alerta para nexos entre crime organizado de Brasil e Bolívia

La Paz, 13 mar (EFE).- O diretor-geral da Polícia Federal (PF), Luís Fernando Corrêa, mostrou preocupação com os nexos entre organizações criminosas brasileiras e narcotraficantes bolivianos, como publica hoje a imprensa da Bolívia.

EFE |

"Nos preocupa muito e é nossa responsabilidade evitar que os grupos criminosos brasileiros venham à Bolívia para se associar a narcotraficantes nacionais", afirmou Corrêa, em declarações citadas pelo diário "La Razón".

Para evitar a consolidação de alianças vinculadas ao narcotráfico, Corrêa assinou na sexta-feira, em La Paz, um acordo para a consolidação de operações de fronteira na luta contra as drogas e o crime organizado. Segundo o diário, o pacto foi firmado com o comandante geral da Polícia boliviana, coronel Óscar Nina.

O chefe da PF, que antecipou que a entidade trabalha para evitar o estabelecimento de bandidos brasileiros em território boliviano, assegurou que a atividade ilícita na fronteira foi intensa.

Segundo ele, o Brasil é "o primeiro mercado do narcotráfico boliviano".

Corrêa disse ainda ter informações de que grupos de criminosos brasileiros, especialmente de São Paulo, devem viajar para a Bolívia para potencializar a produção de drogas. EFE lav/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG