Petróleo fecha em queda nos EUA por dados frágeis da economia

NOVA YORK (Reuters) - Os futuros do petróleo nos EUA fecharam em baixa nesta quinta-feira, influenciados por alguns indicadores que mostraram que a economia do país, o maior consumidor global de energia, segue bastante frágil. As perdas, no entanto, foram limitadas pela possibilidade de os trabalhadores em refinarias nos EUA entrarem em greve, o que poderia afetar a oferta de gasolina e óleo de aquecimento no país.

Reuters |

Os futuros do petróleo tipo WTI em Nova York encerraram com queda de 72 centavos de dólar, cotados a 41,44 dólares por barril. O barril do Brent, negociado em Londres, subiu 50 centavos, para 45,40 dólares.

As perdas nos EUA seguiram a divulgação de indicadores mostrando que o desemprego no país atingiu níveis recordes em meados de janeiro e que as encomendas de bens duráveis caíram pelo quinto mês seguido.

"Segurar os preços do petróleo acima dos 40 dólares por barril vai ser cada vez mais difícil, já que os indicadores mostrando queda na demanda pela commodity continuam se acumulando", afirmou John Kilduff, vice-presidente da MF Global em Nova York.

Na quarta-feira o governo dos EUA divulgou que os estoques de petróleo do país subiram mais de 6 milhões de barris na última semana.

    Leia tudo sobre: petroleo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG