FT - Mundo - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Petrobras vai mostrar sua habilidade de investir em tempos de crise, diz Gabrielli ao FT

A Petrobras vai demonstrar sua habilidade de investir em tempos turbulentos, segundo palavras do presidente da empresa, Sérgio Gabrielli, em entrevista exclusiva ao diário britânico Financial Times publicada nesta sexta-feira. A Petrobras deve anunciar nesta sexta-feira seu plano quinqüenal, depois de um atraso de três meses causado pela crise de volatilidade dos mercados, diz o jornal.

BBC Brasil |

O plano deve trazer detalhes sobre como a Petrobras deverá explorar as reservas de petróleo da camada pré-sal que, segundo o jornal, "representam uma das poucas oportunidades para qualquer empresa de petróleo do mundo de garantir reservas substanciais nos próximos anos".

"A empresa lança planos quinqüenais todos os anos e uma de suas marcas registradas é a estimativa conservadora do preço do barril do petróleo", diz o FT.

Mas "neste ano", segundo o jornal, "esse dado pode não aparecer".

"A Petrobras estava executando projetos elaborados em planos anteriores, baseados em petróleo a US$ 16 o barril. O plano atual calcula um barril a US$ 35 - apenas US$ 10 a menos do que os preços atuais, mas menos do que um quarto dos preços de pico, poucos meses atrás."
"Chegamo a um preço", diz Gabrielli na entrevista, "mas não decidimos ainda se ele (o preço) será revelado ou não".

Gabrielli disse ao FT que todas as operações atuais são lucrativas, mas ele admitiu que "a Petrobras alterou suas prioridades em relação aos campos pré-sal e está se concentrando em maximizar o fluxo de caixa a curto prazo, ao mesmo tempo em que tenta avançar nos projetos a longo prazo".

O jornal indica que uma estratégia pode ser iniciar a exploração pelos campos de acesso mais fácil, como os da costa norte, que estariam a apenas 80 km da costa e embaixo de campos já existentes.

O 'FT' diz ainda que a Petrobras é uma empresa com poucos débitos e que, apesar das dúvidas sobre sua capacidade de investimento, o ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, "insiste que a empresa continuaria com os planos de construir quatro refinarias para permitir a exportação de produtos com valor agregado, em vez de apenas o petróleo leve da camada pré-sal".

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG