Pete Doherty deixa a prisão após 29 dias

Londres, 6 mai (EFE).- O britânico Pete Doherty, um dos fundadores da banda The Libertines, deixou a prisão após 29 dias recluso por violar os termos de sua liberdade condicional, ao reincidir em delitos envolvendo o uso de drogas, informou a agência local PA.

EFE |

Doherty, de 29 anos, deixou na manhã de hoje a prisão de Wormwood Scrubs, no oeste de Londres, vestindo terno e gravata.

O músico, que tem um longo histórico de toxicomania, disse que estava contente de ficar em liberdade e que tinha vontade de beber um rum com refrigerante e de brincar com seus gatos, segundo a "PA".

Nos dias anteriores, a imprensa publicou que Doherty, que recebeu uma sentença de 14 semanas, estava em uma cela isolada do restante dos reclusos para sua própria proteção, já que, aparentemente, alguns planejavam atacá-lo.

O músico foi condenado em outubro do ano passado a quatro meses de prisão condicional por posse de drogas, mas a juíza responsável pelo caso, Davinder Lachar, afirmou que Doherty não teria de cumprir a pena se não fosse reincidente num prazo de dois anos.

Os termos da liberdade condicional também o obrigavam a cumprir um programa de desintoxicação de um ano e a comparecer durante 18 meses a ordens de controle judiciais.

Mas, segundo a imprensa britânica, Doherty faltou em uma ocasião a uma reunião com os supervisores de sua liberdade provisória e em outra chegou atrasado.

Além disso, o músico admitiu em novembro do ano passado que tinha sofrido uma nova recaída em sua dependência às drogas. EFE jm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG