Pessoas com osteoporose têm maior risco de sofrer de vertigem, diz pesquisa

(embargada até as 17h desta segunda, pelo horário de Brasília). Redação Central, 23 mar (EFE).- As pessoas com osteoporose ou com o estado anterior da doença, a osteopenia, têm maior risco de sofrer de vertigem que os indivíduos com densidade óssea normal, e essa probabilidade aumenta entre as mulheres.

EFE |

A afirmação está em um estudo de uma equipe de pesquisadores da Universidade Nacional de Seul em artigo publicado hoje na revista científica "Neurology".

A vertigem é um distúrbio do ouvido interno que causa náusea, e os cientistas acreditam que se desencadeia como consequência de um deslocamento de cristais de carbonato de cálcio.

Para estabelecer a relação entre vertigem e osteoporose, os especialistas estudaram um grupo com 202 pessoas sem histórico de náuseas e com 209 indivíduos com vertigem posicional paroxística benigna (VPPB), ou seja, que apresentavam uma desordem do equilíbrio sem causas conhecidas, como traumatismo craniano, por exemplo.

As pessoas com osteoporose tinham até três vezes mais chances de sofrer de vertigem, e as pessoas com osteopenia, o estado anterior à patologia óssea, tinham duas vezes maior probabilidade de ter vertigem do que as pessoas com densidade óssea normal.

"As descobertas sugerem que existe um problema no metabolismo do cálcio das pessoas com vertigem", disse o responsável da pesquisa, Ji Soo Kim.

Por gênero, 25% das mulheres com vertigem tinham osteoporose, contra 9% das que não sofriam do problema.

Já 47% das mulheres com vertigem apresentavam osteopenia, enquanto o número caía para 33% no grupo das que não sofriam vertigem.

Entre os homens, 12% dos que tinham vertigem sofria osteoporose, enquanto 6% dos indivíduos sem desordens do equilíbrio apresentava menor densidade óssea da considerada normal.

Além disso, 40% dos homens com vertigem padecia de osteopenia, contra 27% do grupo que não tinha o problema.

"Normalmente, as mulheres têm seu primeiro episódio de vertigem aos 50 anos, quando também ocorre uma queda em seus níveis de massa óssea devido à perda de estrogênios. O estrogênio é um dos principais hormônios que influenciam no metabolismo do cálcio e dos ossos", afirmou o especialista.

Agora, os pesquisadores precisam determinar o papel que os estrogênios desempenham na patologia que afeta o equilíbrio.

Ao se dar também a relação entre vertigem e densidade óssea nos homens, os cientistas sabem que existem outros fatores envolvidos nela, além dos hormonais. EFE vmg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG