Submeter todos os voluntários a uma análise do vírus da Aids e tratar com anti-retrovirais todos os soropositivos levaria, em 10 anos, a uma redução de 95% do número de pessoas infectadas, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira na edição on-line de The Lancet.

Um grupo de pesquisadores da Organização Mundial de Saúde (OMS), dirigido pelo doutor Reuben Granich, usou modelos informáticos para imaginar o impacto de uma epidemia generalizada de Aids entre heterossexuais, em um entorno como o da África do Sul, o país mais afetado no mundo pelo HIV.

Segundo o estudo, em 10 anos, o número de pessoas infectadas pelo vírus HIV passaria de 20x1000 para 1x1000.

Cerca de 3 milhões de pessoas no mundo recebiam tratamento no final de 2007 com anti-retrovirais, mas esse não era o caso de 6,7 milhões de soropositivos, sem contar os 2,7 milhões de infectados este ano.

De acordo com o modelo, "a transmissão poderia ser reduzida a níveis-limite, e a epidemia poderia diminuir enormemente até sua eliminação, quando as pessoas que recebem o tratamento envelhecerem ou morrerem".

"Apenas análises voluntárias para todos e uma imediata aplicação da terapia anti-retroviral pode reduzir a transmissão do vírus a um ponto em que uma eliminação possa ser encarada até 2020, no âmbito de uma epidemia generalizada", completa o artigo.

A OMS ressaltou que o texto tem como objetivo provocar o debate, e não definir a política oficial da organização.

chc/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.