Pesquisadores avançam na busca de uma técnica para tornar os objetos invisíveis

A invisibilidade está deixando o campo da ficção científica e se encontra cada vez mais perto do alcance de nossas mãos depois da descoberta de materiais tridimensionais capazes de desviar a luz visível, segundo um estudo publicado pelas revistas Nature e Science.

AFP |

Os cientistas que fizeram experimentos neste sentido com nano-objetos (a milionésima parte de um milímetro) acreditam que podem aplicar o mesmo princípio para tornar uma pessoa, um tanque ou até um petroleiro completamente invisíveis.

Eles já haviam conseguido dissimular um cilindro de couro de cerca de dez centímetros "iluminado" por um raio de microondas, à freqüência radar, invisível ao olho humano. Mas, na ocasião, o experimento foi limitado a duas dimensões.

A equipe do professor Xiang Zhang, da universidade californiana de Berkeley, conseguiu duas premissas: trabalhar com luz visível e em três dimensões.

Os novos materiais ("metamateriais") são capazes de produzir o que os cientistas chamam de "índice de refração negativo", indispensável para tornar os objetos invisíveis. Com este índice negativo, a luz se desvia em direção contrária à normal.

Estes "metamateriais" devem desviar a luz ao redor do objeto, de modo a envolvê-lo, e, em seguida, recuperar sua forma original, assim como uma corrente de água recupera sua forma após passar por um obstáculo. O observador já não vê a perturbação na luz e, desta forma, o objeto desaparece.

Embora uma das aplicações mais imediatas destes "metamateriais" possa ser a construção de lentes especiais para enxergar até um vírus ou uma molécula de DNA, o mais interessante para a imaginação tem a ver com a invisibilidade descrita por autores como H.G. Wells ("O homem invisível") e J.K. Rowling (Harry Potter) e muito utilizada em ficções científicas como "Jornada nas Estrelas" (Star Trek).

mh-gcv/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG