Pesquisador italiano afirma que previu terremoto

Um pesquisador italiano do Laboratório de Gran Sasso assegura que previu o terremoto que deixou mais de 150 mortos nesta segunda-feira, no centro da Itália, segundo o jornal Corriere della Sera em seu site.

AFP |

Giampaolo Giuliani, que trabalha no laboratório de astrofísica italiano, há um mês lançou o alerta de um terremoto iminente na região de Abruzzos, onde foi registrado nesta segunda-feira o forte tremor, sem que as autoridades tenham levado sua advertência em consideração.

O pesquisador afirma que os tremores podem ser previstos, desmentindo todos os especialistas na área.

"Há dez anos conseguimos prever tais tragédias a 100 ou 150 quilômetros de distância. Há três dias notamos um aumento de radônio acima do limite de segurança", assegurou.

O radônio é um gás radioativo que acompanha todo terremoto, explicou.

"O aumento desses níveis anunciam tremores fortes", afirmou Giuliani.

As declarações do pesquisador geraram polêmica na Itália, já que a "profecia" de Giuliani havia sido ignorada pelo chefe da Defesa Civil, Guido Bertolaso, e tachada de "imbecilidade".

No dia 29 de março, Giuliani anunciou que estava prestes a ocorrer em poucos dias um "terrível" terremoto na região de Abruzzos, o que desencadeou pânico entre os cidadãos da pequena cidade de Sulmona, fazendo com que Bertolaso tivesse que fazer um apelo à calma.

O terremoto não ocorreu na época, e sim uma semana depois.

O instituto de astrofísica indicou em um comunicado nesta segunda-feira que Giuliani é "um colaborador técnico, sem título universitário" e que suas pesquisas são feitas a "título pessoal".

Para o Il Corriere della Sera "prever é fácil, outra coisa é assegurar onde e quando ocorrerá", escreveu.

ljm-kv/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG