Pesquisador calcula que 15 milhões já votaram nos EUA

Mais de 15 milhões dos 213 milhões de eleitores registrados já votaram nas eleições presidenciais americanas, de acordo com cálculos do cientista político Michael McDonald, da Universidade George Mason, de Virgínia. A estimativa de McDonald é baseada em dados oficiais dos 32 Estados americanos que permitem a votação antecipada para as eleições de 4 de novembro.

BBC Brasil |

A participação dos eleitores no sistema de votação antecipada registrada até agora é recorde, com filas intermináveis em diversos Estados, incluindo a Flórida, um dos mais disputados pelos candidatos à Casa Branca.

De acordo com pesquisa divulgada na terça-feira pelo Centro de Pesquisas Pew, o candidato democrata Barack Obama aparece na frente entre os eleitores que já votaram, com 53% dos votos, contra 34% do republicano John McCain.

Os democratas vêm pedindo que seus simpatizantes saiam para votar agora e evitem filas ainda mais longas ou problemas técnicos previstos para o dia das eleições.

Sombra de Bush
Segundo a pesquisa do instituto Pew, a aprovação do presidente George W. Bush caiu consideravelmente desde janeiro e está atualmente em cerca de 22%.

Esse sentimento teria afetado de maneira acentuada as chances de McCain, apesar de o republicano tentar se distanciar do presidente nas últimas semanas.

Cerca de 47% dos entrevistados pela pesquisa afirmaram acreditar que o senador McCain adotará o mesmo modelo de Bush.

A campanha de Obama tem utilizado esse dado - em todos os eventos, Obama procura afirmar que votar no republicano "será continuar com as políticas de Bush".

"John McCain foi o co-piloto de George W. Bush quando ele dirigia a economia até o precipício", afirmou o democrata. "Agora, quer tomar o volante e pisar no acelerador."
O democrata foi recebido para um comício na terça-feira por 9 mil pessoas, segundo os organizadores, apesar da chuva fria que caiu em Chester, na Pensilvânia.

"Esta é uma multidão incrível para um clima desses", disse Obama. "Se no dia da eleição houver esse mesmo compromisso, não há como a mudança não chegar aos Estados Unidos."
Mau tempo
O candidato republicano também fez campanha na Pensilvânia na terça-feira, mas teve menos sorte que Obama e teve de cancelar dois atos em Allentown e Quakertown por causa do mau tempo.

McCain conseguiu manter o discurso planejado para Hershey, onde fica uma conhecida fábrica de chocolate, juntamente com a candidata a vice Sarah Palin.

Além de atacar Obama por querer "redistribuir a riqueza do país", McCain aproveitou para tentar acalmar os rumores de que sua campanha está sendo prejudicada pelas críticas a Palin.

"Quando dois indivíduos com estilos próprios se unem, nem sempre estão de acordo em tudo, mas assim é muito mais divertido", afirmou.

McCain também disse que essa não é a primeira vez que a imprensa e as pesquisas apostam em sua derrota antes da hora e garantiu que continuará brigando até o dia 4 de novembro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG