SÃO FRANCISCO - Uma pesquisa publicada na terça-feira revelou uma perda de 36.1% nas colméias gerenciadas comercialmente nos Estados Unidos desde o ano passado.

A pesquisa do ano passado foi comissionada pelos Inspetores Apiários da América e descobriu perdas de 32%.

Conforme os produtores viajam com suas colméias para polinizar o cultivo de todo o país, ficou claro que os insetos estão fragilizados com uma onda de novas doenças, pesticidas e antigos inimigos como parasitas, disse Dennis Van Engelsdorp, presidente do grupo.

Esse é o segundo ano em que a associação mede a morte de colônias em todo o país. Isso significa que os números não são o suficiente para retratar um padrão, mas claramente a morte das abelhas segue um padrão insustentável e a situação não parece melhorar, disse Van Engelsdorp, especialista do Departamento de Agricultura da Pensilvânia.

"Por dois anos consecutivos seguida tivemos perdas insustentáveis", ele disse "Esses números são assustadores. Imagine se uma em cada três vacas morresse, ou uma em cada três galinhas. Isso geraria um problema".

A pesquisa incluiu 327 operadoras que representam 19% das cerca de 2.44 milhões de colméias comercialmente gerenciadas. Os dados serão apresentados em uma publicação da área.

Cerca de 29% das mortes aconteceram por causa do colapso de desordem da colônia, uma doença misteriosa que faz com que abelhas adultas abandonem a colméia.

"O que é assustador sobre essa doença é que ela não é previsível ou compreensível", disse Van Engelsdorp.

Na terça-feira, o secretário da agricultura Dennis Wolff anunciou que o Estado irá investir US$20,400 adicionais em pesquisas sobre a doença. Com isso o fundo destinado à essa pesquisa chega a US$86,000.

A questão também atraiu doações federais e privadas de companhias que dependem do mel das abelhas, como a fabricante de sorvetes Haagen-Dazs.

As frutas e grãos que dão sabor à 28 dos sorvetes da Haagen-Daazs dependem das abelhas para a polinização, a companhia doou US$250,000 para a pesquisa da doença e de formas sustentáveis de polinização.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.