WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, teve pontuação alta em todo o espectro político por sua abordagem na crise do Haiti, o que pode ter contribuído para seu índice geral de aprovação, demonstrou uma pesquisa de opinião da CBS News nesta segunda-feira. Oitenta por cento aprovou a resposta de Obama à crise no Haiti, e republicanos, democratas e independentes deram notas altas, segundo a pesquisa realizada entre os dias 14 e 17 de janeiro. Apenas 8 por cento desaprovou de sua resposta.

O índice de aprovação de Obama como presidente aumentou para 50 por cento após atingir o índice mais baixo de 46 por cento na semana passada, segundo a mesma pesquisa da CBS News. A CBS atribuiu sua aceitação à abordagem frente à crise haitiana.

O índice de aprovação de 50 por cento um ano após Obama assumir a Presidência é semelhante ao dos presidentes Ronald Reagan (49 por cento), Jimmy Carter (51 por cento) e Bill Clinton (54 por cento), informou a CBS News.

Foi mais baixo que os índices dos presidentes George W. Bush (82 por cento), George H.W. Bush (76 por cento), John F. Kennedy (79 por cento) e Dwight D. Eisenhower (70 por cento).

A pesquisa também revelou que 49 por cento dos norte-americanos eram da opinião de que Obama fez demais pelos bancos, enquanto 41 por cento acreditava que ele fez a quantidade certa para a indústria automobilística.

Sessenta e dois por cento disse que Obama fez muito pouco pelas pequenas empresas e 54 por cento disse que ele fez muito pouco pela classe média.

Os norte-americanos estavam divididos sobre a questão da reforma no sistema de saúde, com 41 por cento dizendo que o sistema melhoraria com a nova legislação, enquanto 35 por cento acreditavam que a situação pioraria.

A pesquisa de um grupo aleatório de 1.090 adultos foi realizada por telefone, com margem de erro de três pontos percentuais.

(Reportagem de Tabassum Zakaria)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.