Pesquisa investiga hábito de quenianas de comer pedras

Especialistas estão procurando respostas para explicar o hábito de quenianas que costumam comer pedras, especialmente durante a gravidez. A compulsão por comer coisas estranhas e normalmente não consumidas como alimento é uma síndrome conhecida como pica.

BBC Brasil |

O nome tem origem na palavra em latim pega, nome de um pássaro que seria capaz de comer qualquer coisa.

No Quênia, o hábito de comer pedras - conhecidas como odowas no país - é tão comum que pesquisadores da Universidade da Nigéria entrevistaram cerca de mil grávidas pacientes de uma clínica de pré-natal do hospital de Nairóbi.

Pelo menos 800 das mulheres entrevistadas afirmaram que comem terra, pedras e outras coisas que não são alimentos comuns.

De acordo com os especialistas, o desejo de comer as pedras por parte das mulheres é resultado de uma deficiência em minerais vitais, como o cálcio, no corpo.

"Infelizmente, essas pedras não oferecem muito cálcio", diz a nutricionista Alice Nndong. "Elas oferecem outros tipos de minerais como o magnésio, mas pouco cálcio."
Gosto
Nnodong afirma ainda que, além de pouco cálcio, as pedras têm pouco gosto.

"É um gosto agradável. Não é salgado, doce ou com algum sabor especial", diz a nutricionista. "É quase como comer farinha."
As odowas são facilmente encontradas a venda no mercado Gikomba, em Nairóbi. Entre barracas que vendem peixes e objetos usados, o mercado possui vendedores especializados na venda das pedras.

Segundo um deles, Stephen Ndirangu, não é surpresa ter as mulheres como suas principais clientes.

"Muitas delas compram minhas pedras e as vendem para mulheres grávidas", disse.

Ndirangu conta que um saco de 90 quilos das pedras é vendido por cerca de US$ 6 (pouco mais de R$ 10).

Conseqüências
A nutricionista esclarece que as pedras são macias e não prejudicam os dentes das mulheres - ao contrário, por causa de sua natureza abrasiva, as pedras limpam os dentes à medida que são mastigadas.

Apesar disso, Nnodong alerta que isso não pode ser usado como desculpa para comer pedras já que o hábito tem conseqüências prejudiciais.

"Se alguém come essas pedras sem tomar água suficiente, pode ter uma constipação severa e causar problemas no fígado e nos rins porque a massa formada pelas pedras não consegue ser expelida", afirmou.

A nutricionista diz ainda que comer as pedras é "como comer metal" - porque não são alimentos, as partículas não são digeridas tão bem como frutas ou vegetais.

Por isso, os especialistas alertam as mulheres que possuem o hábito de comer pedras a ignorar os desejos para o bem de sua própria saúde.

Segundo os especialistas, as mulheres devem manter uma dieta equilibrada e não ficar presas ao mito de que, por causa das transformações que ocorrem no corpo, elas precisam de pedras e terra.

Desejo
Apesar do alerta, muitas mulheres dizem que não conseguem parar de comer as odowas.

"Eu tenho essa necessidade de comer as pedras", contou à BBC Nancy Akoth, que está grávida de quatro meses. "Faço coisas loucas, posso até acordar no meio da noite para procurá-las para comer."
Akoth diz que que consultou o médico, que receitou um complemento de ferro por acreditar que ela estava com deficiência do mineral no corpo. "Ele me deu a medicação, mas continuo tendo os desejos de comer as pedras", afirma.

O desejo parece não atingir apenas as grávidas. Sylvia Moi deu à luz há 14 anos e diz que ainda considera as pedras "irresistíveis". Ela conta que gostaria de largar o hábito, mas que não consegue parar de comer as odowas.

"Não consigo ficar sem", afirma. "Andar sem as pedras faz com que eu me sinta mal, como se estivesse faltando alguma coisa ou como eu se estivesse com fome."

    Leia tudo sobre: quênia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG