Pesquisa indica que radiação UV é cancerígena para humanos

(embargada até 20h01, pelo horário de Brasília). Londres, 28 jul (EFE).- Apesar do uso cada vez mais disseminado, a Agência Internacional para a Investigação do Câncer (IARC) decidiu elevar até o nível máximo o risco que o uso das cabines de raios ultravioleta representa para a saúde humana.

EFE |

O organismo incluiu estes aparelhos na categoria de risco 1 e os qualifica como "cancerígenos para os humanos", de acordo com um número especial da revista britânica "The Lancet Oncology".

O uso dessas máquinas, até agora, pertencia ao grupo 2, que o denominava "possivelmente cancerígeno".

Um grupo de cientistas do IARC liderado por Fatiha el-Ghissassi assegura que a radiação UV emitida por estes dispositivos comporta um grande risco de desenvolver a mutação genética que provoca o melanoma, um tumor de pele especialmente agressivo e responsável por 75% das mortes ao ano por câncer de pele.

Os pesquisadores advertem que, ao contrário do que se pensava, todas as radiações UV - sejam UVA, UVB ou UVC- são igualmente perigosas e acrescentam que o risco de desenvolver melanoma aumenta em 75% quando o uso das cabines de raios ultravioleta começa antes dos 30 anos.

Além do melanoma de pele, os especialistas do IARC acreditam que buscar o bronzeado rápido nestes aparelhos pode provocar tumores oculares. EFE avh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG