Pesquisa indica que McCain pode perder em seu estado, Arizona

Phoenix (EUA.), 31 out (EFE).

EFE |

- A vantagem do candidato presidencial republicano, John McCain, no Arizona reduziu-se a meros dois pontos, segundo as pesquisas, deixando uma sombra de dúvida sobre a vitória do senador em seu próprio estado.

De acordo com a última sondagem da Universidade do Estado do Arizona (ASU), McCain tem 46% dos votos, contra 44% de Obama.

Este resultado é um empate técnico, dado que a margem de erro é de três pontos.

Outra pesquisa, do Research 2000, indica que McCain tem 48% das intenções de voto do estado, enquanto Obama conta com 47%, outro empate técnico.

Além disso, segundo esta última pesquisa, em um potencial confronto nas urnas da atual Governadora Janet Napolitano -democrata- com McCain em 2010, ela venceria com 53% contra 45%.

A campanha de Obama está disposta a utilizar este puxão que marcam as pesquisas e hoje mesmo lançou um novo esforço de anúncios publicitários no estado para tentar a vitória.

No mês passado, a diferença a favor do senador do Arizona com o de Illinois era de sete pontos.

"Estes números são uma verdadeira surpresa para nós, nos mostram que o senador McCain está perdendo popularidade inclusive em seu próprio estado", disse à agência Efe, Rodolfo Espino, analista político e professor do Departamento de Ciências Políticas da ASU.

Em sua opinião, uma das causas pelas quais o candidato republicano perde terreno no Arizona é o mal estado da economia, que preocupa a maioria do eleitorado em todo o país.

"Esta última pesquisa nos diz que existe uma leve possibilidade de que McCain pode perder seu próprio estado, mas no final eu acho que ganhará no Arizona, embora talvez com uma margem muito reduzida", disse Espino.

Ele acrescentou que outras das razões pelas quais o apoio a McCain diminuiu no Arizona é o grande número de novos eleitores que participam este ano das eleições.

Entre os novos eleitores, destacam os jovens que se registram pela primeira vez, e que predominantemente se inscrevem como democratas ou independentes, assim como os hispânicos que acabam de obter a cidadania.

Este fator poderia ser mais determinante no sul do Arizona em cidades como Tucson, onde, de acordo com Espino, os eleitores são mais liberais e tendem a favorecer as candidaturas democratas.

Ele ainda citou a possibilidade de influência do voto latino, "que representa cerca de 20% do eleitorado no Arizona".

"O tema de uma reforma migratória também custou alguns pontos ao senador McCain, sobretudo com os membros mais conservadores de seu partido", acrescentou Espino.

Por sua vez, Hessy Fernández, porta-voz da campanha do candidato McCain, declarou à agência Efe que não estão preocupados pelos resultados.

"A única pesquisa que importa é a de 4 de novembro, quando o senador McCain será eleito presidente dos Estados Unidos", disse.

McCain chegará no dia 4 a Phoenix, no Arizona, onde votará e esperará os resultados da eleição em uma festa que se prepara no Hotel Biltmore, o mesmo onde se casou em 1980 com sua esposa Cindy.

EFE ml/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG