Pesquisa indica que europeus levaram vírus da raiva para a África

Redação Central, 22 jan (EFE).- O vírus da raiva chegou à África Central e Ocidental há 200 anos com os colonizadores europeus e evoluiu para várias subvariações locais próprias de diferentes países.

EFE |

Isto é afirmado por uma equipe de pesquisadores de Estados Unidos, África e França no último número da revista "Journal of General Virology".

Após analisar 182 mostras do vírus de cachorros infectados tomadas em 27 países africanos ao longo de 29 anos, os cientistas explicam que as diferentes variedades do agente patogênico derivam de dois ancestrais originais.

Do chamado "África 1" evoluíram os vírus da raiva que circulam pelo norte do continente e do "África 2" aqueles presentes no centro e no oeste.

Os cientistas sugerem que o tipo 2 do vírus foi introduzido na parte mais oriental do África Central e Ocidental, provavelmente no Chade, há cerca de 200 anos e que dali se expandiu por toda a região durante um período de mais de um século.

A propagação geográfica descrita pelo vírus, indica a equipe de pesquisadores, segue os movimentos da expansão colonial francesa na África.

As diferentes subespécies do vírus na região estão muito vinculadas ao terreno e seu movimento entre diferentes localidades é limitado.

Um dos pesquisadores, Hervé Bourhy, do Instituto Pasteur de Paris, descarta a hipótese de que os focos de raiva teriam se espalhado sobre longas distâncias por cachorros ou pessoas que viajassem com animais já infectados.

"Isto é altamente improvável, pois há um forte agrupamento geográfico das subespécies do vírus da raiva e a escala de tempo da expansão do vírus se mede em décadas", declarou. EFE vmg/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG