Pesquisa destaca que dormir menos de 7 horas causa mais risco de resfriado

(embargada até as 19h desta segunda, pelo horário de Brasília) Washington, 12 jan (EFE).- Cientistas americanos descobriram que as pessoas que dormem menos de sete horas têm mais possibilidades de pegar um resfriado, de acordo com uma pesquisa publicada hoje na revista especializada Jama.

EFE |

As pessoas que dormem menos de sete horas por noite têm três vezes mais chances de desenvolver doenças respiratórias após exposição ao vírus causador de um resfriado do que aquelas que dormem oito horas ou mais, afirma o artigo.

Já havia sido comprovado que o descanso noturno beneficia o corpo, mas a pesquisa acrescenta que aqueles que dormem entre sete e oito horas por noite também são os que têm as menores taxas de doenças coronárias e de morte.

O especialista Sheldon Cohen, da Universidade Carnegie Mellon, de Pittsburgh, Pensilvânia, e seus colegas estudaram entre 2000 e 2004 os hábitos de 153 mulheres e homens saudáveis, com uma idade média de 37 anos.

Os participantes foram entrevistados diariamente durante um período de duas semanas, e tiveram que responder sobre o número de horas que dormiam à noite, o tempo que passavam até pegarem no sono e se se sentiam descansados pela manhã.

Depois, ficaram sob quarentena e receberam gotas nasais com o rinovírus comum causador dos catarros.

Durante os cinco dias seguintes, os participantes informaram de todos os sinais e sintomas da doença, e os cientistas coletaram amostras de muco e fizeram exames de sangue para estudar a resposta de seus anticorpos ao vírus.

A pesquisa comprovou que, quanto menos uma pessoa dormia, mais chances tinha de desenvolver o resfriado, e descobriu que a baixa eficiência do sono também está associada com o desenvolvimento do catarro.

Os participantes que mais demoraram a conciliar o sono e passaram menos de 92% do tempo na cama dormindo tiveram cinco vezes e meia mais de probabilidades de ficar doentes que aqueles cujo rendimento do sono foi de 98% ou mais.

Segundo os especialistas, sentir-se descansado não tem relação com uma maior resistência aos resfriados.

Uma possível explicação para a descoberta, informaram os autores do estudo, é que "o sono influi na regulação das citocinas pró-inflamatórias, histaminas e outros mediadores que o corpo libera em resposta à infecção".

No entanto, a pesquisa conclui que dormir de sete a oito horas de sono por noite é uma meta razoável. EFE elv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG