Pesquisa: Conservadores vencem sem maioria absoluta

Boca de urna indica que partido de David Cameron conquistou 307 cadeiras em Parlamento britânico; para maioria eram necessárias 19

iG São Paulo |

Reuters
Conservador David Cameron comparece com sua mulher à seção eleitoral na Grã-Bretanha

Pesquisa de boca de urna indica que o Partido Conservador, de David Cameron, teria conquistado o maior número de cadeiras, mas não a maioria absoluta, no Parlamento de Westminster. Se a sondagem for confirmada, será a primeira vez desde 1974 que a Grã-Bretanha terá o chamado "hung Parliament" - Parlamento sem nenhum partido com maioria absoluta, em que o governo só terá o número suficiente de votos para aprovar uma lei se contar com o apoio de outros partidos.

De acordo com a pesquisa, elaborada pelos institutos NOP e MORI para as emissoras "BBC", "SKY" e "ITV", os conservadores teriam obtido 307 cadeiras, enquanto os trabalhistas, do primeiro-ministro Gordon Brown, teriam ficado com 255, e os liberal-democratas, de Nick Clegg, com 59. Para conquistar a maioria absoluta, os conservadores precisariam de 326 dos 650 assentos da Câmara dos Comuns. 

Os resultados oficiais devem ser divulgados entre a noite desta quinta-feira e a madrugada de sexta. 

Se confirmado o "hung Parliament", há três cenários possíveis: (1) o primeiro-ministro Gordon Brown pode permanecer interinamente no cargo enquanto tenta formar uma coalizão; (2) Cameron pode tentar se aliar a um segundo partido para encabeçar um governo de coalizão; (3) ou pode não se coligar a nenhuma legenda e formar um governo minoritário. Nesse caso, o governo minoritário tentaria conseguir apoios pontuais para cada uma das leis que quisesse aprovar. Se não ocorrer nenhum dos cenários acima, o Parlamento pode ser dissolvido novamente e uma nova eleição pode ser convocada.

Alto comparecimento

Mais de 45 milhões de eleitores foram convocados a comparecer numa das 50 mil seções eleitorais abertas, que abriram às 3 horas de Brasília, para decidir entre os 4.149 candidatos que aspiram a entrar no Parlamento inglês.

O conservador David Cameron, de 43 anos, foi o primeiro a votar, junto com sua esposa Samantha, por volta das 7 horas de Brasília, em Spelsbury (norte de Londres).

O primeiro-ministro Gordon Brown, de 59 anos, e sua mulher Sarah, votaram na Escócia 25 minutos depois. Na mesma hora, o liberal-democrata Nick Clegg votou em Sheffield (norte da Inglaterra), também acompanhado pela esposa Miriam, que não pode votar por ser espanhola.

Certas pesquisas previram durante as últimas semanas a derrota do Partido Trabalhista, que está há 13 anos no poder e perde popularidade por causa de Brown.

*Com AFP e BBC

    Leia tudo sobre: Grã-BretanhaeleiçõesBrownCameronClegg

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG