Peruanos protestam em Tacna contra alteração na lei de mineração

Lima - Milhares de pessoas voltaram a participar de um novo protesto pacífico em Tacna, a cidade do extremo sul peruano onde a partir de hoje vigora o estado de emergência, após os choques violentos registrados terça-feira à noite que deixaram dois mortos.

EFE |

Testemunhas disseram à Agência Efe que milhares de cidadãos fizeram um panelaço nas ruas em um protesto pacífico, o terceiro deste tipo que acontece hoje.

Ao mesmo tempo, uma reunião entre representantes do governo local, prefeitos da região e algumas organizações cívicas terminou com a adoção de uma plataforma de 14 pontos na qual as posições dos regionalistas estão se radicalizando, segundo fontes da "Radio 1 local".

Os regionalistas protestam contra a modificação da lei do cânone mineiro, já que a modificação representou uma grande redução dos recursos que a região recebe em compensação pela atividade da mineradora Southern Peru.

Estes protestos, que já duram uma semana, causaram um conflito que obrigou o governo central a decretar, à meia-noite de terça e por 30 dias, o estado de emergência, durante o qual algumas garantias constitucionais são suspensas e o Executivo fica encarregado das tarefas de ordem pública, auxiliado pela Polícia.

Em reunião em Lima, o prefeito de Tacna, Luis Torres Robledo, pediu ao primeiro-ministro Yehude Simon o envio de uma comissão de alto nível para resolver os problemas da região.

    Leia tudo sobre: peru

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG