Lima, 1 nov (EFE).- O Governo peruano autorizou hoje a intervenção das Forças Armadas por sete dias na região de Tacna, no sul do país, onde eclodiram protestos contra uma decisão do Congresso, para apoiar a Polícia na manutenção da ordem pública.

Uma resolução suprema assinada pelo presidente Alan García e pelos ministros da Defesa e do Interior diz que o ato de acionar as Forças Armadas será dirigido a "contribuir e garantir o funcionamento dos serviços públicos essenciais e a resguardar pontos críticos vitais".

O documento diz ainda que a decisão permitirá que a Polícia Nacional se concentre "no controle da ordem pública e na interação com a população".

Tacna retomou ontem a calma após dois dias de protestos contra a modificação feita pelo Congresso de uma lei sobre a distribuição, entre as regiões peruanas, dos impostos cobrados junto a empresas mineradoras.

O ministro da Defesa, Antero Flores Aráoz, declarou à rádio "RPP" que as Forças Armadas não ficarão permanentemente nas ruas de Tacna, mas sim substituirão "temporariamente a Polícia em locais especiais, como os aeroportos". EFE mmr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.