Peru quer que Yale devolva 40 mil peças de Machu Picchu

O governo do Peru anunciou que a universidade de Yale, nos Estados Unidos, detém mais de 40 mil peças arqueológicas da cidade inca de Machu Picchu, e não 4 mil, como acreditava anteriormente. O levantamento foi feito por técnicos do Instituto Nacional de Cultura (INC) e seus resultados foram divulgados pela agência estatal de notícias Andina, que ouviu o comissário especial para a repatriação da coleção, Hernán Garrido Lecca.

BBC Brasil |

Entre os itens, que foram extraídos do local há mais de 90 anos por um pesquisador de Yale, há múmias e objetos de prata, ouro, madeira, osso e cerâmica.

O Peru afirma que em 1916 o americano Hiram Bingham levou a coleção para a universidade americana por um período de 18 meses, mas nunca a devolveu.

A equipe do INC viajou para os Estados Unidos em meados de março para realizar o inventário das peças como parte de acordos firmados para o retorno dos itens.

Mas embora a universidade reconheça que as peças pertencem ao Peru, só está disposta a devolver 384 objetos nos próximos anos.

Bingham teria descoberto os itens em 1911 depois de viajar para a cidade, formadas por casas, prisões e altares em rochas. Machu Picchu fica na região andina de Cusco, 1,1 mil quilômetros a sudeste da capital, Lima.

    Leia tudo sobre: machu picchuperu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG