LIMA (Reuters) - O governo peruano informou nesta quarta-feira que está preparando um programa preventivo para reduzir o efeito de eventuais terremotos, como o de magnitude 8,8 que atingiu o vizinho Chile no fim de semana. O presidente do país, Alan García, disse a jornalistas que o programa será realizado por centenas de especialistas que revisarão as zonas mais críticas e os riscos de demolição em caso de tremor de terra.

"Precisamos que todas as famílias estejam adequadamente preparadas para saber o que fazer em caso de um sismo de grande intensidade, saber qual é o lugar mais seguro do ponto de vista estrutural e antissísmico, e reforçá-lo", disse García após reunião com ministros.

Ele disse que há muitos imóveis em Lima e Arequipa, as duas maiores cidades peruanas, que foram construídos "sem respeitar certas normas antissísmicas."

"As moradias caem depois de 10 ou 20 segundos sendo sacudidas, são esses os segundos fundamentais, e se a família sabe quais são os lugares mais seguros, podemos salvar muitas vidas", disse García, que esteve nesta semana no Chile.

O Peru fica numa zona geológica sujeita a terremotos. Em 2007, um tremor de magnitude 7,9 na zona costeira central deixou cerca de 600 mortos e milhares de imóveis destruídos.

García disse que os especialistas, com apoio da polícia e dos militares, farão uma análise para detectar a "inabitabilidade" das moradias, a fim de transferi-las ou, pelo menos, reforçá-las.

O presidente anunciou também a aquisição de um sistema de detecção e alerta precoce contra tsunamis.

"Devemos advertir inicialmente todos aqueles que vivem a 500 metros da beira do mar, e cada vez que ocorrer um terremoto, ou se estiver ao nível do mar, deve buscar imediata proteção, afastando-se dos arredores da zona de maré baixa ou alta", recomendou.

(Reportagem de Marco Aquino)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.