Peru nega política de espionagem

Lima, 1 ago (EFE).- O chanceler do Peru, José García Belaúnde, afirmou hoje que o Estado peruano não tem uma política de espionagem e destacou que as autoridades judiciais devem investigar a denúncia que uma empresa privada espionou militares chilenos.

EFE |

García Belaúnde declarou à emissora "Radioprogramas do Peru" (RPP) que "não é nenhuma política de Estado espionar" e que "os responsáveis" deste caso são os integrantes da empresa privada Business Track (BTR), detidos há vários meses por participar de uma suposta espionagem industrial.

A revista peruana "Caretas" revelou na quinta-feira passada a existência de e-mails e áudio com conversas telefônicas atribuídas a quatro oficiais da Força Aérea chilena, achados no computador do ex-oficial da Marinha de Guerra do Peru Elías Ponce Feijoo, integrante da BTR.

O chefe da diplomacia peruana assinalou que ainda não conversou com as autoridades chilenas sobre este assunto por estar juntando a informação que vincula a BTR com a suposta espionagem internacional.

EFE dub/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG