Peru chama embaixador na Bolívia após fala de Morales

LIMA - O governo do Peru chamou seu embaixador na Bolívia para consultas após declarações do presidente Evo Morales sobre a reação do governo peruano aos protestos de indígenas na Amazônia, disse nesta segunda-feira uma fonte da chancelaria de Lima.

Reuters |

Morales afirmou que os violentos protestos no Peru contra uma lei de investimentos na Amazônia eram uma "grande lição" para entender as demandas ambientais dos povos originários que vivem ali.

Os comentários foram feitos após o presidente peruano, Alan García, sugerir que Morales, primeiro mandatário indígena da vizinha Bolívia, estaria por trás das violentas manifestações que deixaram ao menos 34 mortos há mais de uma semana em uma região amazônica do Peru.

Os nativos peruanos protestam há dois meses pela revogação de leis que, segundo eles, atentam contra a natureza e suas propriedades.

O Congresso do Peru suspendeu de forma indefinida as normas, e o governo iniciou um diálogo com os nativos para acalmar os protestos - os piores enfrentados por García em quase três anos de um mandato de cinco.

Em La Paz, o chanceler boliviano David Choquehuanca minimizou a convocação do embaixador, classificando-a como um procedimento "normal" e com fins estritamente informativos.

"É normal que um governo, através de sua chancelaria, possa convocar para consultas a seus embaixadores. Nós fazemos isso permanentemente, convocamos nossos embaixadores para o caso de requerer alguma informação direta", disse Choquehuanca a repórteres em La Paz.

Choquehuanca afirmou que a Bolívia não via necessidade de convocar seu embaixador em Lima para consultas, e completou que aproveitará a escala que fará na terça-feira na capital peruana para conversar com o representante diplomático boliviano perante o governo de Alan García.

O chanceler boliviano pediu à mídia que "não supervalorize" as discrepâncias entre La Paz e Lima, depois de sinalizar que as relações binacionais passam por um "mau momento" que pode ser superado.

No domingo, Choquehuanca disse que não era correto responsabilizar o discurso que Morales realiza há anos a favor de uma "segunda liberação" dos povos indígenas e da salvação do planeta pela recente violência no Peru.

Leia também:


Leia mais sobre Peru

    Leia tudo sobre: peru

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG