Peru aumenta vigilância após primeiro caso de gripe suína

LIMA (Reuters) - O Peru aumentou nesta quinta-feira a vigilância sobre todas as pessoas que chegam do exterior preocupado com a possibilidade do aparecimento de um novo caso de gripe suína, após a confirmação na véspera do primeiro caso da doença. O presidente Alan García, na inauguração de uma unidade médica em um bairro pobre, pediu à população para lavar as mãos constantemente e evitar cumprimentar os outros com as mãos e beijos, como prevenção contra o vírus que ameaça o mundo.

Reuters |

"Um país disciplinado pode ser um país que reduz o risco, mas não será imune porque o mundo globalizado acarreta grandes problemas. Antes a gripe viajava de barco a vela... agora a gripe vem por aviões", disse García.

O Peru anunciou o primeiro caso de gripe suína em um país latino-americano fora do México em uma mulher argentina de 27 anos que desembarcou em Lima na terça-feira em um voo da Copa Airlines, após a tripulação da aeronave ter detectado que ela tinha febre alta, espirrava e sangrava pelo nariz.

A passageira argentina, que havia estado dias antes no México e que mora na Califórnia, está isolada, em recuperação e estável em um hospital de Lima, segundo o governo.

A situação obrigou o Peru a suspender os voos de ida e volta do México, onde já morreram até 176 pessoas infectadas pela gripe suína, enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que o mundo está a beira de uma pandemia, a ponto de elevar o nível de ameaça frente ao vírus que continua a propagar-se por vários países do planeta.

(Reportagem de Marco Aquino)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG