Perto da maior data xiita, Teerã volta a viver enfrentamentos

Teerã, 26 dez (EFE).- A capital iraniana foi cenário hoje de fortes enfrentamentos entre as forças de segurança e grupos opositores, que aproveitaram a véspera do dia de Ashura, o principal para os muçulmanos xiitas, para protestar contra o Governo Mahmoud Ahmadinejad.

EFE |

Os confrontos surgiram em diferentes áreas do centro de Teerã, assim como no bairro de Yamaran, ao norte da capital, junto à casa do fundador da República Islâmica, aiatolá Ruhollah Musavi Khomeini, onde o ex-presidente pró-reformista Mohamad Khatami discursava.

Os seguidores do chamado Movimento Verde, cujos líderes principais, Mir Hussein Moussavi e Mahdi Karrubi, consideram fraudulentas as eleições de junho passado que mantiveram Ahmadinejad no poder, aproveitam a ocasião para protestar contra o resultado do pleito.

Segundo o site pró-reformista "Movimento do Caminho Verde" (Jaras), cerca de 50 guardas revolucionários (basiys) invadiram a antiga casa do aiatolá Khomeini (1900-89), no bairro de Yamaran.

O ataque à casa de Khomeini obrigou o ex-presidente iraniano Mohamad Khatami a deixar sem fim o discurso que fazia por ocasião do dia de "Tasua", véspera da "Ashura".

Segundo o site, ao discurso tinham ido também a filha e a mulher do presidente da assembleia de especialistas, Ali Akbar Hashemi Rafsanjani.

O Movimento Verde convocou manifestações contra o regime iraniano para amanhã, durante as procissões de homenagem ao imame Hussein, embora as autoridades iranianas tenham advertido que não tolerarão atos de protesto.

O dia de "Tasua" (nove em árabe) é a data em que, no ano 680, segundo a tradição xiita, o imame Hussein, filho do imame Ali e neto do profeta Maomé, enfrentou e foi derrotado na batalha de Karbala pelo Exército do califa Yazid.

Hussein foi executado - "martirizado", de acordo com a terminologia xiita - junto com 72 de seus companheiros no dia seguinte, conhecido como "Ashura", lembrado a cada ano com cerimônias de luto por todos os muçulmanos xiitas.

Nos enfrentamentos registrados hoje em Teerã, as forças de segurança usaram largamente material antidistúrbios para dispersar os manifestantes.

Segundo o citado site, os choques mais violentos ocorreram na zona de "Pol-e Chubi", no centro de Teerã, onde os agentes investiram contra os carros, cujos motoristas tocavam a buzina como sinal de protesto contra o regime.

A fonte informou também de enfrentamentos em outras áreas do centro de Teerã, como as praças de Enbghelab, Haft-e Tir e Ferdosi e o cruzamento de Valiasr.

Os seguidores do Movimento Verde também devem lembrar durante as procissões de amanhã o sétimo dia da morte do aiatolá Hossein Ali Montazeri.

O líder xiita, destacada figura religiosa da oposição, morreu no sábado passado em Qom, onde centenas de milhares de iranianos estiveram na segunda-feira para seu funeral. EFE msh/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG