Peritos tentam fazer retrato de terroristas suicidas da Indonésia

Jacarta, 20 jul (EFE).- Legistas indonésios trabalham hoje para reconstruir o rosto de um dos dois terroristas suicidas que na última sexta-feira explodiram bombas em dois hotéis de luxo da capital, matando nove pessoas e deixando outras 50 feridas.

EFE |

Os investigadores acreditam que, assim, poderão mostrar o retrato falado a testemunhas e relacioná-los à facção dissidente do grupo radical Jemaah Islamiya, acusado de organizar os atentados, disseram fontes policiais.

Por enquanto, um dos terroristas foi identificado, mas as autoridades revelaram apenas a inicial do nome dele: "N".

A Polícia segue examinando o quarto 1808 do hotel Marriott de Jacarta, considerado o "centro de operações" dos ataques e onde foi desativada uma terceira bomba pronta para ser detonada.

Esse artefato e outro encontrado em uma operação recente contra uma célula da Jemaah Islamiya na ilha de Java são "idênticos" aos usados nos atentados de Bali em 2002, que deixaram 202 mortos, pois também continham preços, porcas e parafusos para multiplicar seu efeito.

Após enganar o dispositivo de segurança do hotel para introduzir as bombas, os suicidas passaram pelo menos duas noites no Marriott e no Ritz-Carlton antes de explodir os artefatos, na sexta-feira.

Eles carregavam as bombas em pastas de executivo.

Os dois hotéis são bastante frequentados por empresários e turistas estrangeiros, assim como em Bali, onde se redobrou a segurança. EFE jpm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG