Perfuradoras avançam mais de 300 metros para resgate de mineiros

Previsão é de que operários saiam de jazida no início de novembro ou de dezembro; mineiro vê nascimento de filha por vídeo

iG São Paulo |

As duas perfuradoras que trabalham no resgate dos 33 mineiros presos na jazida San José, no norte do Chile, desde 5 de agosto escavaram mais de 300 metros cada uma. A boa evolução dos trabalhos aumentou o ânimo dos mineiros, que no fundo da mina ouvem o ruído incessante das máquinas.

Para animar ainda mais os operários, Ariel Ticona, um dos 33 em San José, conseguiu ver nesta quarta-feira o nascimento de sua filha por vídeo, informaram fontes oficiais.

A perfuradora encarregada do Plano A , uma Strata 950, alcançou nesta quarta "308 metros", enquanto a perfuradora modelo T-130, do Plano B , atingiu "368 metros", disse o coordenador das tarefas de resgate, René Aguilar.

A primeira deve perfurar 702 metros e a segunda, 630. Esta retomou suas operações nesta quarta-feira após ter uma de suas peças quebradas há uma semana.

Após atingir a profundidade necessária, as máquinas passarão a escavar de baixo para cima com o objetivo de abrir um buraco de 70 cm de diâmetro, pela qual os mineiros serão içados do fundo.

Segundo Aguilar, essa segunda fase da perfuração é mais lenta e, por isso, as autoridades mantêm a estimativa de que os mineiros só serão resgatados no início de novembro ou de dezembro.

Além dos planos A e B, também está sendo instalada uma perfuradora petroleira, que ficará encarregada do plano C de resgate . A previsão é de que ela começará a perfurar na próxima segunda-feira.

Nascimento da Esperanza

A filha de Ticona, Esperanza , nasceu na terça-feira em uma clínica perto da cidade de Copiapó, e os parentes gravaram o parto com o objetivo de mostrá-lo ao pai da criança.

O vídeo foi enviado aos mineiros que estão 700 metros abaixo da terra via um duto pelo qual eles recebem alimentos, água e outros suprimentos.

Os mineiros também têm telefone e vídeo para conversar com familiares que ficam em uma tenda montada perto da mina, assim como artigos eletrônicos para assistir às gravações.

"Ele viu o vídeo", disse Alberto Iturra, o psicólogo da equipe de resgate, à AFP.

De acordo com Iturra, o irmão de Ticona, Cristian, colocou o vídeo no ar logo depois do nascimento e conseguiu falar com o mineiro. "Foi emocionante", disse Iturra.

Ofertas de emprego

Mais de 20 companhias com operações no Chile fizeram mais de mil ofertas de emprego aos 33 mineiros durante uma feira nesta semana.

Mesmo que eles escolham voltar à mineração, o trabalho não necessariamente será no subterrâneo e quase certamente será com uma companhia com um histórico de segurança melhor do que sua atual empregadora, a mineradora San Esteban.

As ofertas vão desde motorista de retroescavadeira, mecânico, eletricista, especialista de redução de risco e escavador para túnel de escape. Os operários receberam 1.188 ofertas de emprego na terça-feira, muitas delas oferecidas no site do Ministério do Trabalho chileno.

Os 33 mineiros estão presos há mais de 40 dias, o tempo mais longo da história, e ainda podem demorar meses até que eles sejam resgatados.

*Com AFP e AP

    Leia tudo sobre: chileminasebastián piñeramineirosresgatesan josé

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG