Peres diz que Israel vai analisar proposta franco-egípcia; Hamas expressa reservas

O presidente israelense Shimon Peres disse nesta quarta-feira que Israel vai estudar os planos propostos pela França e pelo Egito para alcançar um cessar-fogo na Faixa de Gaza.

Redação com agências internacionais |


Em declarações à rede britânica SkyNews, Peres disse que Israel analisará as propostas nos próximos dias. "Agora temos a idéia geral. Temos que olhar os detalhes, porque, infelizmente, isso depende de como será organizado. Um papel, por si só, não pode mudar a situação", afirmou o chefe de Estado israelense sobre o plano franco-egípcio.

Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, afirmou que Israel "considera de maneira positiva o diálogo entre egípcios e israelenses".

"Israel agradece ao presidente egípcio e ao presidente francês por seus esforços para pôr fim às atividades terroristas em Gaza e ao contrabando de armas do Egito para Gaza", afirmou o porta-voz.

AFP
Artilharia abre fogo na fronteira de Gaza

Também nesta quarta-feira, o movimento palestino Hamas expressou suas reservas em relação à iniciativa egípcia e insistiu na necessidade de que, em primeiro lugar, Israel pare sua ofensiva armada.

"Dissemos ao Egito que insistimos na suspensão do bloqueio a Gaza, parando a agressão contra nossa gente e abrindo todas as passagens fronteiriças", afirmou o representante do Hamas no Líbano, Osama Hamadan, à rede de televisão Al Jazira.

"O movimento está considerando esta iniciativa e, embora tenhamos reservas em relação a ela, vamos divulgar nossa resposta após considerá-la", acrescentou o dirigente do Hamas.

Proposta franco-egípcia

Na terça-feira, o Conselho de Segurança da ONU analisou a proposta de cessar-fogo apresentada pela França e pelo Egito, que recebeu apoio dos Estados Unidos e do presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

Apresentado na reunião em Nova York pelo presidente egípcio, Hosni Mubarak, e pelo líder francês, Nicolas Sarkozy, o plano prevê a retomada do envio de ajuda humanitária a Gaza e negociações a respeito da segurança na fronteira entre israelenses e palestinos.

A proposta foi bem recebida pela secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, que pediu por uma trégua que seja "durável e que garanta a segurança".

A embaixadora de Israel na ONU, Gabriela Shalev, não comentou se Israel aceitaria a proposta, mas afirmou que ela "seria levada a sério". A França diz esperar uma resposta definitiva ainda nesta quarta-feira.

12º dia de bombardeios


Leia também

Opinião

Vídeos


Leia mais sobre: Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG