Daniela Brik. Jerusalém, 27 out (EFE) - O presidente israelense, Shimon Peres, anunciou hoje no Parlamento a convocação de eleições antecipadas, às quais as pesquisas indicam que a líder do partido governante Kadima, Tzipi Livni, parte como favorita. Com isso, Peres atende à recomendação da própria Livni de chamar os israelenses às urnas depois de ela ter desistido da missão dada pelo presidente de formar um novo Governo, já que não conseguiu apoio suficiente. No entanto, a decisão de Livni, ministra de Relações Exteriores no atual gabinete, de não esgotar o prazo para recompor a atual maioria governamental - e as razões que apresentou para fazê-lo -, parecem ter dado frutos. As duas primeiras pesquisas publicadas após sua desistência a colocam hoje em primeiro lugar na preferência do eleitorado, seguida de perto por Benjamin Netanyahu, líder do Likud. Números do Instituto de Pesquisa Sociológica Dahaf para o jornal Yedioth Ahronoth indicam que o Kadima manteria suas atuais 29 cadeiras, das 120 que compõem o Parlamento (Knesset), contra as 26 do Likud, caso o pleito fosse hoje. Essa tendência parece ser confirmada pela pesquisa do TNS Eeleseker, que aumenta para 31 os parlamentares a serem obtidos pelo partido de Livni, contra 39 da legenda de Netanyahu, que conta atualmente com 12. As duas pesquisas revelam que o Partido Trabalhista - atualmente a segunda maior legenda, com 19 deputados - obteria apenas 11 deputados nas urnas. Livni argu...

Em seu discurso no plenário, Olmert disse que "as ameaças à segurança de Israel não vão esperar o processo político" que se aproxima. EFE db/rb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.