Peregrinação a Meca recomeça com rito em templo sagrado do islã

Riad, 7 dez (EFE).- As autoridades sauditas cumpriram no amanhecer deste domingo o rito anual de mudar a capa de seda preta bordada com fios de ouro que cobre a Caaba, a construção mais sagrado para os muçulmanos, localizada no pátio da grande mesquita de Meca.

EFE |

Enquanto quase três milhões de peregrinos acordavam para completar o segundo dia da peregrinação, um novo pano de seda com bordados de ouro de 14 metros de altura por 47 metros de comprimento substituía a velha capa do edifício, que, segundo a tradição islâmica, seria o centro do mundo.

A capa, conhecida como kisua e costurada em uma fábrica de Meca construída em 1977 só para este fim, custou 20 milhões de reais sauditas (US$ 5,3 milhões) e vários meses de trabalho.

O véu negro e dourado, de 658 metros quadrados e que cobre os quatro lados da Caaba, também é decorado com versículos do Corão.

A tradição de cobrir a Caaba, que abriga a "pedra negra", considerada pelos muçulmanos um pedaço do paraíso, se remonta à era pré-islâmica e teve seqüência depois que Maomé começou a pregar os fundamentos do islã, no século VII da era cristã, explicou à imprensa o xeque Abdelaziz al-Shibi, encarregado de preservar e proteger o edifício.

Embora atualmente o pano seja trocado apenas uma vez ao ano, a mudança da capa que cobre o prédio, cuja construção foi iniciada por Adão e concluída por Abraão, era feita tantas vezes quanto fosse necessário, disse Shibi.

Antes de a Arábia Saudita se encarregar pessoalmente da elaboração anual do pano, sua confecção era feita no Egito, até que, em 1962, o presidente desse país, Gamal Abdel Nasser, decidiu suspender o envio do tecido a Meca.

A Caaba, para onde milhões de muçulmanos de todo o mundo dirigem suas orações diariamente, abriga em seu interior uma pequena sala, na qual três colunas de madeira sustentam um teto a nove metros do chão.

No lado oriental da Caaba fica incrustada a "pedra negra", que os fiéis tocam e beijam com fervor durante sua viagem a Meca.

A cerimônia de hoje coincide com o segundo dia da peregrinação islâmica, ao longo do qual os quase três milhões de fiéis que participam da peregrinação subirão até o Monte Arafat, onde o profeta Maomé pronunciou seu último discurso.

Com sete voltas entorno da Caaba, os fiéis marcam o início e o fim dos cinco dias de peregrinação, que começaram ontem e terminam no próximo dia 10. EFE ash/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG