Pequim volta a julgar líder dissidente Liu Xiaobo

Um tribunal de Pequim julgou nesta quarta-feira por subversão um dos líderes da dissidência chinesa, Liu Xiaobo, mas o veredito do processo, criticado por Estados Unidos e União Europeia (UE), só será conhecido na sexta-feira, dia de Natal.

AFP |

Liu, 53 anos, que foi preso após a repressão de junho de 1989, foi julgado por "subversão do poder de Estado" um ano depois de ter colaborado na redação da "Carta 08", um texto que pedia uma China democrática.

O julgamento durou duas horas e meia, segundo um dos advogados de defesa, Ding Xikui.

"O tribunal informou que o veredito será lido às nove da manhã de sexta-feira", disse.

Liu pode ser condenado a até 15 anos de prisão, mas outro advogado de sua equipe de defesa, Mo Shaoping, afirmou que o cliente será inocentado.

"Seu único crime foi o de ter se expressado. Ele trabalha pela democracia e os direitos humanos há muito tempo, faz estudos e já escreveu muito. Ele faz isto há mais de 20 anos", declarou.

mbx-frb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG